A rotina de quem trabalha na área de tecnologia é, na maioria das vezes, muito estressante. Seja pelo trabalho em si, pelos problemas do dia-a-dia, ou por todo o entorno deste trabalho.

Você já parou e se perguntou Quanto vale o seu tempo?

Vamos refletir um pouco sobre isso e sobre o que podemos fazer para melhorar nosso dia-a-dia.

O problema

Quanto vale o seu tempo?

Você já deve ter pensado muitas vezes que não aguenta mais o seu trabalho, essa rotina diária, que tudo isso te estressa muito, certo?

Provavelmente acertei, então vamos fazer uma pequena reflexão. Você já parou para pensar e tentar descobrir onde está e qual é o verdadeiro problema?

Vejamos aqui alguns possíveis vilões:

  • Não trabalho com o que gosto;
  • Não me encaixo no modo de gestão da empresa que eu trabalho;
  • Meu salário não é compatível;
  • “apago incêndios” o tempo todo;

Você já se encaixou em alguma das opções acima? Se sim, tem certeza que alguma dessas opções é o real problema?

Vamos pensar aqui em algumas coisas que giram entorno do seu trabalho, mas que talvez você não tenha considerado com devida relevância:

  • Deslocamento diário;
  • Trânsito;
  • Hábitos alimentares;
  • Saúde mental/Esgotamento mental;

Quero focar em alguns desses itens, pois eles podem ser grande parte do problema, ou em alguns casos, podem ser o problema.

Então, finalizamos a primeira etapa, identificamos o problema.

Identifiquei o problema, e agora?

Após fazer a análise do seu dia-a-dia e identificar o problema, vamos tentar resolver cada um dos itens.

Deslocamento diário e trânsito

Pode parecer óbvio, mas tente encontrar um trabalho perto de onde você mora, ou morar perto do seu trabalho. Caso nenhum dos dois seja possível, você pode tentar uma solução intermediária, como por exemplo: negociar para trabalhar remoto alguns dias. Um ou dois dias de trabalho remoto por semana fazem uma grande diferença.

O trabalho remoto ainda é um assunto delicado no Brasil, todas as experiências que tive foram um pouco frustrantes. Na maioria das situações as empresas não estão preparadas para essa modalidade, já em outros casos, seu chefe e alguns colegas de trabalho pensam que você fica sem fazer nada quando está remoto, mesmo que as suas entregas digam o contrário.

Com relação ao trânsito, com as questões abordadas acima, podemos combater os 2 problemas ao mesmo tempo. Caso nenhuma delas seja possível, você pode tentar um horário alternativo. Chegar mais cedo e sair mais cedo ou chegar mais tarde e sair mais tarde pode resultar em uma melhora considerável na sua qualidade de vida, e é algo relativamente mais fácil de negociar na sua empresa.

Desta forma, você consegue fugir do trânsito e por consequência diminuir seu tempo de deslocamento. Não tem mágica aqui. Tente diminuir o seu tempo de deslocamento e fuja o quanto puder do trânsito.

Hábitos Alimentares e Saúde Mental

A saúde deve ser sempre assunto recorrente na pauta, no trabalho, na vida e por isso gostaria de destacar a importância do que tanto chamamos de qualidade de vida. O seu trabalho proporciona vale-refeição e/ou vale-alimentação? Se não, uma dica seria tentar incluir mais benefícios quando estiver negociando um aumento de salário, fazendo que consiga refeições mais saudáveis, sem ter que sempre fazer lanches ou comer fast food, que além de caros, não ajudam no quesito saúde.

Se você estiver buscando novas oportunidades no mercado de trabalho, também pode optar por uma empresa que ofereça um ambiente friendly, que está se tornando mais comum no Brasil, onde empresas adotam políticas para o bem estar do funcionário dentro do ambiente de trabalho, como: frutas e lanches saudáveis à disposição, ginástica laboral, pausas para espairecer e etc.

Ao falar de ambiente friendly entramos também no quesito saúde mental, pois sabemos que um ambiente hostil e cheio de pressão pode muitas vezes resultar em esgotamento mental para o funcionário, por isso, procure um ambiente saudável para trabalhar e se não for possível, busque ajuda de terapeutas ou psiquiatras para acompanhar melhor sua situação.

História real

O que me motivou a escrever (terminar) este post, foi ter lido um texto do Felipe Fialho, no qual ele fazia uma reflexão sobre salários, valor hora e qualidade de vida.

Este texto me fez lembrar o quão estressante era perder 3h a 3h30 diárias com deslocamento de casa até o trabalho, sem contar com o aperto do transporte público, com ônibus e trens sempre com a capacidade máxima de lotação ultrapassada.

Nesta época, acordava as 6:00, para conseguir chegar no trabalho entre 7:30 e 8:00, pois assim conseguiria sair em torno de 16:30 a 17:00 para chegar às 19h na faculdade. E então, depois da aula, retornando às 23h30, para a minha “casa de finais de semana”, pois passava mais tempo fora do que em casa.

Após chegar em casa, jantava, tomava um banho e “relaxava” por uns 30 minutos no sofá. Retornando para minhas próximas 5 horas de sono entre 00:30 e 01:00. Ou seja, além do estresse diário, ainda não conseguia ter uma noite de sono boa e com tempo para descansar.

Todo esse desgaste, se refletia no meu desempenho no trabalho, na faculdade, no meu relacionamento com minha noiva (namorada na época) e principalmente na minha saúde mental e física.

Foram 4 anos e meio bem complicados na minha vida: aprendi muito, não posso negar, foi a época que mais aprendi coisas novas, porém também foi também a mais desgastante. Se eu não tivesse parado um pouco para pensar em minha qualidade de vida, não sei o que poderia ter acontecido.

Hoje em dia, trabalho à 15 minutos de casa. Sim, 15 minutos caminhando. E preciso admitir, isso não tem preço; minha saúde melhorou, tenho mais tempo para estudar, para ficar com minha noiva e passear com meu cachorro.

Trabalhar perto de casa, virou prioridade para mim. É tão importante quanto meu salário ou a empresa em si.

Meu dia hoje tem quase 3 horas a mais e isso fez uma diferença absurda na minha vida.

Talvez essa não seja a sua realidade, ou não incomode você o fato de ter que se deslocar por horas para o trabalho, mas caso você tenha oportunidade, tire um tempo para refletir sobre o assunto. Pense no que você poderia fazer com esse tempo que você gasta em deslocamento hoje.

Lembre-se que se você não se preocupar consigo mesmo, ninguém o fará.

É tudo sobre tempo

Você já deve ter notado que o ponto chave da questão é o tempo. Ele, ao lado da saúde, são nossos bens mais preciosos. Todo o resto pode ser ajustado e recuperado, mas o tempo não volta.

O recado que quero passar aqui é, pense bem como está gastando seu tempo, pois ele não volta mais.

Pra quem se interessou sobre o assunto, dê uma conferida nos dois posts abaixo que abordam de uma forma bem interessante e com outro ponto de vista esse assunto:

Até mais e obrigado pelos peixes.